Projetos de Pesquisa


LABORATÓRIOS DE MÉTODOS AVANÇADOS E EPISTEMOLOGIA

http://www.lamae.nce.ufrj.br/

 

O complexo de Laboratórios de Métodos Avançados e Epistemologia LAMAE representa um núcleo  transdisciplinar de laboratórios de pesquisa científica e práticas criativas em arte, ciência e tecnologia, sediado no Instituto Tercio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais.

 

O complexo LAMAE desafia a estruturação hierárquica comum aos centros de laboratórios de problematização científica e de pesquisa experimental, abrindo-se à composição por pessoas e instituições que desafiam as barreiras universitárias, e priorizando abordagens teóricas e metodológicas inovadoras. Os laboratórios deste complexo têm em comum o interesse em investigar a possibilidade de que sistemas de regras semelhantes aproximem os campos de racionalização humana, unindo ciência, tecnologia (sobretudo as tecnologias digitais) e humanidades, e que seu conhecimento possa ajudar a compreender e controlar nossas capacidades criativas individuais e coletivas.

 

A proposta metodológica artsci prevê o desenvolvimento de uma ciência complexa, transdisciplinar, aberta ao diálogo com outras formas de racionalização humana. Nosso sistema metodológico alicerça-se através do tripé cognitivo definido pela emoção, razão e estética, como ferramentais indissociáveis da concepção e da prática científicas. Estruturado por este eixo triádico de inteligência criativa, entendemos que o nosso método reserva um forte potencial de contribuição para uma ciência que eficientemente contemple o bem-estar humano e o concilie com o bem estar do planeta enquanto organismo, tão desejado, tão urgente para todos e cada um de nós.

 

Concebido pela Pofa. Maira Fróes ao longo de anos de experiências reconhecidas na interface arte, neurociências e epistemologia, e como resultado imediato da evolução dos laboratórios de pesquisa e extensão do grupo Anatomia das Paixões, por esta dirigidos, o complexo LAMAE vem crescendo em visibilidade acadêmica e extra-acadêmica.  Desde sua fundação, compartilhada com o Prof. José Otávio Pompeu e Silva, em dezembro de 2013, o complexo LAMAE expandiu seu quadro de laboratórios associados que hoje integra pesquisadores de várias unidades e instituições, apresentando a seguinte composição geral:

 

 

LANE – Laboratório de Neuroepistemologia Experimental: O Laboratório de Neuroepistemologia Experimental conjuga criação e pesquisa experimental controlada em torno das bases alicerçais da percepção e da estruturação de ordem das referências interpretadas como objetivas na experiência humana e suas consequências para a evolução do campo de conhecimento científico.

Uma vez associando, em costuras transdisciplinares complexas, campos de conhecimento e problematizações tão distintos, representados nas artes, na filosofia – sobretudo na epistemologia, na ciência – especialmente nas neurociências, e na tecnologia (com ênfase em sistemas computacionais), o laboratório é sustentado por um arcabouço intelectual dinâmico, flagrantemente híbrido, e em constante remodelagem. Nas frentes de pesquisa científicas experimentais do laboratório, quando consideradas as redes de conexões conceituais abarcadas no levantamento de hipóteses científicas, na definição de modelos e métodos de pesquisa, destacam-se propostas de ruptura com os sistemas metodológico-experimentais tradicionais..

Coordenação: Profa. Maira Monteiro Fróes (HCTE/NCE/UFRJ e NCE/UFRJ)

 

 

Anatomia das Paixões: Nesta frente extensionista os objetos de ciência são explorados e apresentados ao público como enunciadores de êxtase e paixão humana. As questões abertas em ciência, idem, de forma a abrir-se à co-problematização com o público. No exercício de aulas teóricas, palestras, práticas de interface arte/ciência realizadas em espaços por vezes híbridos de arte e ciência, o conteúdo de inspiração e modelagem científica é explorado em mergulhos transdisciplinares, estendendo-se do atrelamento forma-função biológica, por exemplo, até o surgimento do homem que questiona e cria, numa demonstração sutil e gradual de nossa unidade de consciência. O estudante, o espectador, o humano em toda e qualquer categoria, é convidado e estimulado a uma percepção especular do corpo de elementos do conhecimento humano através de seus próprios sistemas de sensibilidade emocional, afetiva, estética, e de seus recursos cognitivos alargados pela capacidade de abstração imaginativa favorecida pelo tratamento e concepção artística dos objetos trabalhados. Este projeto acadêmico constitui-se numa iniciativa desafiante no sentido de combinar, de forma equilibrada, não hierarquizada, ciências, artes e filosofia, a partir dos sujeitos humanos e da sociedade. Integra atualmente o Programa Pró-Cultura UM RIO DE ARTE, CIÊNCIA E CULTURA (PR-5 UFRJ)

Coordenação: Profa. Maira Monteiro Fróes (HCTE/NCE/UFRJ e NCE/UFRJ) e Edmar Junior de Oliveira  (Hospital da Loucura)

 

 

LATOD – Laboratório de Inovação Tecnológica e Tomada de Decisão: O laboratório consiste em projetos de inovação tecnológica que tenham como objetivo a tomada de decisão em ambiente nebuloso através do uso da lógica fuzzy. As propostas de solução são direcionadas para as mais diversas áreas de atuação, acadêmica, industrial e/ou comercial.

Coordenação: Prof. Alfredo Nazareno Pereira Boente (HCTE/NCE/UFRJ e FAETERJ)

 

 

GEPGEL – Grupo de Estudos em Pesquisa Industrial, Gestão e Logística: O Grupo de Estudos está comprometido em buscar soluções de forma a otimizar os processos logísticos, com ênfase na redução dos custos logísticos e da empresa em geral.

Coordenação: Prof. Alfredo Nazareno Pereira Boente

 

 

LabMind - Laboratório de Gestão Mental, Psiquismo e Instituições

O LabMind-Laboratório de Gestão Mental, Psiquismo e Instituições aprofunda a investigação neuropsíquica da metodologia de mudança Gestão Mental, criada pelo Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques, e que vem sendo aplicada internacionalmente desde que foi anunciada em 2005. Esta é a metodologia com a qual a Psicopolítica da Teoria Social (nesta incluídas as teorias da comunicação, da informação, da gestão e da cultura), criada e sustentada em rede pelo mesmo pesquisador a partir do NETCCON-Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Psicopolítica e Consciência, da Escola de Comunicação da UFRJ, possibilita que o sujeito do psiquismo e das instituições supere em rede suas predisposições à manipulação, uma vez que a dominação, e portanto a emancipação, ao invés de serem ortopédicas, através do biopoder, são estéticas, portanto psicopolíticas. Tratamos da superação epistemológica, teórica, metodológica e vivencial da fixação no axioma hobbesiano através da dissolução da experiência dualista de uma suposta irracionalidade dos desejos e do corpo e de uma insensibilidade da razão, que tem impedido historicamente as mudanças prometidas pelas teorias e metodologias, mas que porém tem gerado mais decepção do que mudanças sistêmicas.  Essa capacidade de transformação da Gestão Mental vem sendo orientada teoricamente e comprovada empiricamente em tal dimensão que tem recebido crescentes reconhecimentos e prêmios internacionais de setores os mais diversificados, desde a sociedade civil organizada e seus movimentos, à clínica, a governos, a empresas e a instituições do porte da União Européia e da UNESCO. A Gestão Mental opera em uma compreensão integrada do indissociável conjunto corpo-mente -portanto da consciência como incorporada e da mente como órgão biocultural; o que é fundamental para dirimir a fratura gerada pelo trauma epistêmico do dualismo e suas consequências psíquicas e institucionais. O controle científico da capacidade desta metodologia de gerar tais re-organizações de ordem neuropsíquica são tratadas no LabMind em articulação com os sistemas de modelagem lógica não-tradicionais implementados no complexo de laboratórios LAMAE, que se aplicam à inteligência computacional.

Coordenação: Prof. Evandro Vieira Ouriques (HCTE/NCE/UFRJ, ECO/UFRJ e Universidad de La Frontera, Chile)

 

Nosso complexo de laboratórios busca esclarecer como e por que qualidades subjetivas da experiência humana podem se revelar co-estruturantes da cognição. Esse é o viés a partir do qual nossas frentes de pesquisa se aplicam às ciências computacionais, e delas demandam recursos de estruturação teórica e operacional. Entendemos a computação como meio e fim em pesquisas contemporâneas que pretendam abordagens inovadoras, por um lado, dependentes do-, por outro, que fomentem o desenvolvimento de artefatos cognitivos que ampliem nossa capacidade de ação no mundo.  Nossas frentes de pesquisa vêm penetrando bolsões de conhecimento de interface, nos quais as bases de organização física e funcional neurobiológicas, em níveis que vão do celular ao sistêmico comportamental, alimentam e forçam à rediscussão os estruturantes de ordem lógico-computacionais. Sistemas lógicos não tradicionais associados a modelos em geometria contemporânea avançada ancoram várias de nossas frentes de pesquisa, numa emergente neuroepistemologia computacional.

 

O distanciamento de natureza cognitiva entre o sujeito e a ciência deve ser desafiado, enquanto premissa, deve ser questionado experimentalmente, à luz de modelos científicos.  Endereçamos a hipótese de que todas as bases expressivas do comportamento humano, narrativas/conscientes, e não narrativas/não conscientes, embutiriam eixos estruturantes racionais, eventualmente redutíveis aos modelos lógicos conhecidos. A natureza híbrida, multimodal do pensamento em ciência é um viés hipotético sobre o qual avançamos nossas pesquisas no laboratório. Porque o fortalecimento da ciência passa pelo resgate do valor criativo transformador que a condição humana garante à ciência.

 

 

 

Laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologia Assistiva

 

http://intervox.nce.ufrj.br


Descrição breve do laboratório:

Neste laboratório são desenvolvidos sistemas computadorizados para suporte às necessidades de pessoas com diversos tipos de deficiência, em particular, visual e motora grave.  O laboratório também desenvolve treinamentos a distância em grande escala sobre Tecnologia Assistiva, em especial para professores da Rede Pública, atendendo às necessidades do Ministério da Educação.


Suas principais metas e ações envolvem:

Criação de Tecnologia Assistiva computacional para pessoas com deficiência

Desenvolvimento de cursos a distância sobre Tecnologia Assistiva

Desenvolvimento de ferramentas especiais para suporte a acessibilidade (sintetizadores de voz, adaptações de equipamentos, acesso à Internet, etc).


 

Projetos atuais:

DOSVOX, TECNOASSIST, BRAILLE FÁCIL, MUSIBRAILLE, JOGAVOX, MICROFÊNIX, MOTRIX, entre outros.


Membros do laboratório:

José Antonio Borges (responsável)

Ida Beatriz Mazzillo (pesquisadora)

Angélica Dias (pesquisadora)

Tiago Borges (pesquisador mestrando)

Júlio Tadeu Carvalho da Silveira (pesquisador)

Daniela Tavares (funcionária)

Raiano Martins Franco da Silva (bolsista)

Marcolino Matheus de Souza Nascimento (bolsista)


 

LabNet – Laboratório de Redes de Computadores e Multimídia

 

LabNet, um laboratório do Grupo de Redes de Computadores,  tem atuado principalmente nas áreas de ambientes inteligentes, segurança de informação, redes sem fio e redes de sensores sem fio.

 

Membros do laboratório :

Professor Responsável: Luci Pirmez

Professores: Luiz Fernando Rust da Costa Carmo, Flávia Coimbra Delicato e Silvana Rossetto

Alunos de Doutorado: Claudio Miceli de Farias, Tiago Monteiro do Nascimento, Sérgio de Medeiros Câmara, Rafael de Oliveira Costa

Alunos de Mestrado: Igor Leão dos Santos, Emanuelle Nunes de Lima Figueiredo Jorge, Elton Alves Costa

Alunos de Iniciação Científica: João Henrique Vieira da Silva

LabNet – Laboratório de Redes de Computadores e Multimídia

 

Alguns Projetos do laboratório:

ASGaRD – Concepção de arcabouço de gerenciamento e decisão para possibilitar o compartilhamento da infraestrutura de sensoriamento e comunicação de uma rede de sensores e atuadores sem fio por múltiplas aplicações inteligentes (Smart Grid e outros) (CNPQ)

SaFESensorObf - Concepção de arcabouço de  proteção de software adaptativo que seja capaz de proteger as RSSFs contra ataques que visam comprometer os nós dessa rede com o intuito de extrair ou modificar dados confidenciais (CNPQ)

FraSEE - Concepção de arcabouço de suporte às aplicações de eficiência energética em smart grids (Domínios de Geração e Transmissão) que fazem uso de redes de sensores e de atuadores sem fio (CNPQ)

USICONTROL - Sistema Supervisório de Automação e Controle para Usinas Marinhas e Eólicas (FINEP)

 

SocialEduLab

 

Grupo ao qual está vinculado: GINAPE


Parceria: LABASE e NEAD


Projetos atuais: ActivUFRJ – Ambiente Colaborativo de Trabalho Integrado e Virtual

 

Descrição breve do laboratório/grupo de pesquisa:


O Ambiente Colaborativo de Trabalho Integrado e Virtual da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ActivUFRJ) foi desenvolvido visando apoiar atividades acadêmicas da UFRJ, incorporando funcionalidades que promovam a explicitação das redes sociais da Universidade. Os alunos utilizam diariamente as “redes sociais”. Nosso objetivo é aproveitar essa cultura e incorporá-la à vida acadêmica dos mesmos, desmistificando e modernizando a academia.

 

O ActivUFRJ surgiu de um projeto final da graduação do curso de Ciência da Computação, do aluno Bruno Hildenbrand, orientado pela pesquisadora Claudia Motta, do NCE/UFRJ. Em seguida, diversas dissertações de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Informática desenvolveram funcionalidades para o ambiente, incluindo mecanismos de combinação social, recomendação de produções acadêmicas entre pares e mecanismos de reputação.

 

O ambiente propicia a construção coletiva do conhecimento, sendo que ao longo do tempo, a inteligência coletiva emerge, através da produção oriunda de diferentes turmas que, de forma incremental, vão registrando sua produção. Espera-se que a utilização do ActivUFRJ permita que a imaginação dos alunos seja estimulada, promovendo a sinergia entre ele, aumentando a aprendizagem colaborativa de forma lúdica e natural.

 

A atual versão do ambiente foi desenvolvida em software livre, empregando a linguagem de programação Python, pela equipe de analistas e programadores do Instituto Tércio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais (NCE/UFRJ).

 

Equipe:

Claudia Lage Rebello da Motta (responsável)

Carlo Emmanoel Tolla de Oliveira

Carla Verônica Machado Marques


Alunos de Mestrado:

Walkir Brito, Rodrigo Padula de Oliveira, Ana Paula Camargo Pimentel, Marcelo Ramos, Myriam Kienitz Lemos, Edgar Delbem Js, Walter Bicalho, Christiana Vale Bomfim Barreira


Aluna de Doutorado:

Viviane Rodrigues


Pesquisadores:

Mauricio Bonfim, Márcia Cardoso, Anibal Teles, Victor Toso, Carlos Frederico Paresque de Araújo


Bolsistas IC: 4

 

Laboratório de Gestão de Emergências – Centro de Referência em Gestão de Conhecimento em Desastres



Grupo vinculado ao Grupo GRECO - Sistemas de Informação - PPGI

Projetos atuais:

[FAPERJ] - Núcleo de Pesquisa sobre Documentação e Análise de Emergências para apoiar ações de: prevenção, preparação, resposta e recuperação de desastres (2013-2014)

[FAPERJ–Cientista do Nosso Estado] - Engenharia, Colaboração e Visualização do Conhecimento aplicados à Gestão de Emergências (2012-2014)

[CNPq-Produtividade em Pesquisa 1-D] - Gestão de conhecimento coletivo no tratamento e visualização de situações de emergências (2012-2015)

[CNPq-PDI Grande Porte] - Centro de Referência para Sistemas (Complexos) de Gestão de Emergências (2011-2013)

[CNPq-Universal] Aplicando os Princípios da Engenharia de Resiliência, Ergonomia e Learning Lab ao Domínio Emergência para os Exercícios Simulados de Resposta: um estudo de caso dos exercícios simulados de evacuação de população em áreas de risco no Rio de Janeiro (2012-2013)

[CNPq-Produtividade em Pesquisa 2] Estratégias para Recomendação de Informações (2013-2015)

[FAPERJ-Jovem Cientista do Estado] Estratégias Baseadas em Grafos para Caracterização de Dados Abertos (2012-2014)

[CNPq-Produtividade em Pesquisa 1-D] Capturando anormalidades na normalidade: Aplicando métodos e conceitos da Engenharia de Resiliência (ER) na análise e identificação de situações precursoras de acidentes em sistemas complexos (2013-2016)

[FAPERJ-Jovem Cientista do Estado] Desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação para colaboração entre cidadãos e autoridades para melhorar a resiliência na preparação e resposta a emergências de grande porte

Membros do laboratório:

Marcos Borges (Coordenador), Adriana Vivacqua, José Orlando Gomes, Paulo Victor Rodrigues de Carvalho

Alunos de doutorado: Kelli Medeiros, Tiago Marino, Bruno Nascimento, Bruna Diirr, Viviane Azevedo, Angélica Dias, Juliana França, Claudio Passos, Alfredo Manhães, Danilo Freitas, Herli Menezes.

Alunos de mestrado: Tatiana Pimentel, Armando de Souza, Leonardo Fanzeres, Rodrigo Andrade, Marcus Machado, Diana Arce, Leila Luzia.

Alunos de graduação: 8 alunos de Ciência da Computação

Descrição breve do laboratório/grupo de pesquisa:

Pesquisas sobre os vários aspectos da Gestão de Conhecimento, Engenharia Cognitiva, Interfaces e Visualização, Resiliência e Fatores Humanos aplicadas no domínio da gestão de emergências com enfoque no suporte à colaboração. Um grupo de pesquisa interdisciplinar com participantes da área de computação e da engenharia de produção.

Uma grande variedade e quantidade de temas de pesquisa

Pesquisadores experientes e qualificados

Participação de alunos de graduação e mestrado, doutorado muito grande

Grande parte dos projetos parcialmente financiados por órgãos de fomento

 

Com enfoque bastante aplicado

 


Página 1 de 3
Fique por dentro

Busca
Interatividade
Parcerias
Galeria de Fotos

 

O Microsoft DreamSpark (antigo MSDNAA) é um programa da Microsoft que permite a utilização educacional e acadêmica de sua plataforma de software, servidores e ferramentas de desenvolvimento.


 

O Serviço DreamSpark (antigo MSDN AA) vinha sendo oferecido à comuinidade acadêmica pelo NCE há diversos anos. No entanto, recentemente a Microsoft modificou as clausulas contratuais do serviço DreamSpark Premium, e o serviço agora só pode ser utilizado por alunos, professores e técnicos de departamentos nas áreas de STEM (ciencia, tecnologia, engenharia e matemática).

 

Além disso, o serviço DreamSpark Premium não pode ser mais oferecido para toda a instituição academica. De agora em diante, cada departamento STEM deve ter um contrato separado com a Microsoft, para atender aos seus usuários específicos.

 

Portanto, lamentamos o inconveniente,mas as modificações contratuais colocadas recentemente pela Microsoft não permite mais que continuemos a oferecer o serviço DreamSpark da maneira como vinha ocorrendo há anos.

 

Atenciosamente

Agosto/2013

NCE / Instituto Tércio Pacitti

 

Palestra da Semana